.. ... ..

22 fevereiro 2017

Para Hildo Rocha, Famem deve cobrar de Flávio Dino por corte na Saúde…

Deputado considera legítima a luta dos prefeitos em Brasília, por aumento do repasse federal aos municípios, mas criticou a entidade por não cobrar do governo estadual os recursos cortados dos hospitais

O deputado federal Hildo Rocha (PMDB) manifestou apoio aos prefeitos maranhenses que foram a Brasília lutar por recursos para a saúde pública.
– Como ex-prefeito que sou, sei das dificuldades que os municípios enfrentam para oferecer saúde pública digna para o povo, principalmente no nosso estado – destacou Rocha em pronunciamento na tribuna.
Para o deputado, a atitude dos prefeitos é correta, mas a cobrança não deve se restringir apenas ao governo federal.
– Eu vi os prefeitos solicitarem do governo federal o aumento da per capta da saúde pública do Maranhão. É justo, é correto. Mas eu gostaria que, com a mesma força, com a mesma veemência, o presidente da Famem cobrasse do governador Flávio Dino o retorno imediato dos repasses do Fundo Estadual para os Fundos Municipais porque a saúde pública é tripartite: é mantida com recursos da união, dos estados e dos municípios e nós sabemos que o governo do estado tem recursos suficientes para ajudar os municípios no funcionamento da saúde, até porque os Estados tem que gastar pelo menos doze por cento da sua receita com saúde – enfatizou Rocha. (Veja o vídeo)
O parlamentar lembrou que durante o governo Roseana Sarney o estado repassava R$ 100 mil, mensalmente, para boa parte dos municípios, como ajuda para o funcionamento dos hospitais.
– Há dois anos que o governador não repassa os recursos do fundo a fundo. Que ele pague o que está devendo porque muitas prefeituras estão endividadas por falta desses recursos, que ele volte a pagar mensalmente os municípios do Maranhão – declarou o deputado.
Hildo Rocha destacou ainda que graças a uma eficiente articulação que ele liderou, na comissão mista do orçamento, o Estado do Maranhão foi beneficiado com o aumento do teto financeiro para atendimentos de Média e Alta Complexidade da saúde pública.
– Graças a esse trabalho, nós conseguimos assegurar R$ 80 milhões, sendo que R$ 52 milhões estão sendo utilizados para bancar os hospitais macrorregionais e R$ 28 milhões foram alocados para melhorar os atendimentos de Média e Alta Complexidade de diversos municípios – enfatizou o parlamentar.

Nenhum comentário: