.. ... ..

13 abril 2017

Preço de Flávio Dino foi definido pela própria Odebrecht…

Ao contrário do que se noticiou até agora, governador não estabeleceu R$ 400 mil para atender aos interesses da construtora; este valor foi definido pelo diretor João Pacífico, responsável pela área Norte/Nordeste da companhia


Recorte do documento da PGR sobre Flávio Dino
A se julgar pelo teor dos depoimentos em poder da Procuradoria-Geral da República, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), era considerado como do chamado Baixo Clero da propina, ao menos para a diretoria da Odebrecht.
Ao contrário de outros figurões da Política – que pediram e receberam valores superiores a R$ 10 milhões, R$ 30 milhões e até R$ 100 milhões – a propina paga a Dino, segundo relatório da Procuradoria-Geral da República, foi definida pelo diretor João Pacífico.
De acordo com o relatório, Dino se comprometeu a acompanhar o Projeto de Lei de interesse da Odebrecht e, em troca, pediu ajuda para sua campanha ao governo do Maranhão, em 2010.
Flávio Dino com Chico Lopes
Veja o trecho:
– Em uma das reuniões (vide minuto 5), FLÁVIO DINO teria pedido ajuda da ODEBRECHT para sua campanha a governador do Estado do Maranhão. JOSÉ DE CARVALHO FILHO se comprometeu a verificar a possibilidade e dar um retomo.
Carvalho Filho procurou o diretor João Pacífico, que, segundo o relatório da PGR, “era da região do deputado Flávio Dino”. Foi Pacífico quem definiu o valor da propina.
Veja o que diz o relatório:
– Internamente, JOSÉ DE CARVALHO FILHO consultou JOÃO PACÍFICO, DS da região do deputado FLÁVIO DINO. JOÃO PACÍFICO estabeleceu o montante de R$ 400.000,00 para repassar ao deputado.
Segundo o site de Negócios do Jornal do Commercio, de Pernambuco, João Pacífico atuava pela Odebrecht nas regiões Norte e Nordeste. Era ele quem decidia sobre pagamentos a políticos.

Nenhum comentário: